AJUDANDO A MELHORAR A TERAPIA INSULÍNICA

Para a maioria das pessoas, saúde é um assunto pessoal, experimentada pelo paciente e praticada por um profissional. Mas para um grupo seleto de indivíduos especializados em Pesquisa dos Aspectos Econômicos e Resultados de Saúde (HEOR), a experiência pode afetar um país. A BD emprega exatamente esse tipo de rede de assistentes altamente treinados que procuram locais onde as comunidades de saúde possam beneficiar-se com a adoção de práticas comprovadas e apresentar evidência que apoie tais práticas aos mais altos níveis de autoridade.

Diabetes patients practicing injection techniques.
Pacientes diabéticos praticando as técnicas de injeção.

Um exemplo de tal atividade está se desenrolando na República Popular da China. Mais de dois anos atrás, uma equipe interfuncional da BD — representando assuntos médicos, marketing, política pública e relações governamentais — foi reunida para considerar uma estratégia para acelerar o acesso ao mercado de agulha para caneta na China. Para atingir essa meta, a política de reembolso do governo para agulhas de caneta precisava ser reavaliada e ajustada.

Preparing an insulin pen.
Preparando uma caneta de insulina.

Para facilitar as discussões baseadas em evidência, o grupo criou ferramentas de comunicação de campo direcionadas para as partes envolvidas em reembolso no nível nacional, regional e municipal. A BD da China também investiu em um líder do HEOR regional para expandir ainda mais a colaboração interfuncional. A equipe lançou novos estudos em colaboração com Assuntos Médicos, incluindo o primeiro Estudo Clínico de HEOR focalizando a sobrecarga clínica e de custo da lipo-hipertrofia, uma condição que se refere a uma protuberância embaixo da superfície da pele causada pelo acúmulo de gordura extra no local de várias injeções subcutâneas de insulina. Esta condição pode mudar o tempo ou a totalidade da ação da insulina, um problema que pode ser reduzido instruindo os pacientes a revezar o local da injeção.


Equipe de HEOR – da esquerda para a direita: Doreen Dong (Assuntos Médicos); Lichun Jiang (Diabetes); Xiaoxiao Ren (Assuntos Públicos e Comunicações); Anita Wei (Assuntos Públicos e Comunicações); Shirley Xia (Assuntos Governamentais); Danny Chu (Diabetes); Julia Liu (Assuntos Públicos e Comunicações); Steven Wei (Assuntos Médicos); Benson Hu (Pesquisa e Desenvolvimento); Arthi Chandran (HEOR); Fiona Wang (Diabetes).

Outro desafio do grupo de HEOR foi a dissuasão da reutilização da agulha para a injeção de insulina. Um levantamento conduzido na China em 2013 em uma amostragem de 3.393 pacientes, revelou que 80% estavam acostumados a usar a mesma agulha três vezes como uma medida de economia.1 Um estudo da reutilização foi preparado, fornecendo dados convincentes sobre o impacto orçamentário do reembolso para as agulhas de caneta. Ferramentas de comunicação adicionais foram produzidas e apresentadas em uma reunião para geradores de políticas e as partes envolvidas nacionais, regionais e da comunidade.

Como resultado dessa colaboração e sua defesa baseada em evidência, uma nova política de reembolso foi aprovada para os produtos para diabetes nas províncias de Jiangsu e Hebei, com possibilidade de maior acesso e entrega para milhares de pacientes diabéticos, assim como economias potenciais do lado do fornecedor. O trabalho da equipe de HEOR e seus colaboradores funcionais na China continua, pois o sucesso da adoção da política abre oportunidades em províncias adicionais em todo o país, com 80 milhões de "vidas cobertas" já se beneficiando das novas políticas.

1T Liu, B Cui, J Zhong, Z Zhao, K Yu, L Tao, X Ren. Situation and Impact of Insulin Pen Needle reuse for Patients with Diabetes in China